JC FOTO DO PERFIL.jpg

Bem Vindos!

Após um período inativo, o Jornal de Cachoeirinha está de volta para destacar as principais notícias e acontecimentos da cidade. Agora sob nova direção estamos dando uma cara nova para o jornal, num formato digital, com plataforma multimídia, sem perder a essência da sua origem - Ser o único jornal local voltado para notícias relacionadas à Cachoeirinha, com serviços, entretenimento e muita informação para os nossos leitores.

  • Facebook

Este site é dedicado ao saudoso jornalista, escritor e editor do Jornal de Cachoeirinha, Milton Souza.

missão e valores.jpg

Uma breve história do jornal

O Jornal de Cachoeirinha marcou época no jornalismo da cidade. No dia 21 de abril de 1993, passou a circular semanalmente, todas as quartas-feiras, àquele que seria o principal veículo de comunicação local. Foi uma festa inesquecível realizada no Woderful Pub, onde a cidade literalmente voltou suas atenções para aquele mega evento de lançamento. Lá estavam as principais autoridades e pessoas da sociedade. Entre eles os prefeitos da época Edir Oliveira (Gravataí) e Francisco de Medeiros (Cachoeirinha). E foi Medeiros o assinante número 1 do jornal.

A direção do semanário das quartas-feiras começou pelo empresário Roberto Gomes de Gomes e depois passou para as sextas-feiras, já com Henrique Batista Gomes. O primeiro editor foi o polêmico e brilhante jornalista Robinson Gamboa, que hoje reside em Florianópolis, SC.

 

Porém, não tem como deixar de grifar em caixa alta, um capítulo todo especial ao editor e mente brilhante, que  marcou a história deste jornal - o saudoso e perseverante jornalista Milton Sebastião Souza, ou simplesmente "Seu Milton". Unanimidade no meio, foi ele quem conduziu e manteve a marca do JC por longos anos. Seu Milton iniciou campanhas exitosas pelo JC, como a dos  "Bombeiros Já", que culminou com a construção do Corpo de Bombeiros na cidade e a vinda de um caminhão escada Magirus. Por ele passaram jornalistas, a maioria mulheres, que seguem brilhando na carreira - Jéssica Trindade, Cristina Pioner, Silvia Bica, Amália Ceola, Patrícia Leão, Roselaine Vinciprova e o bendito ao fruto, Alexandre Oltramari, que chegou a ser editor da Revista Veja.

E, por tudo isso, Milton Souza é o patrono legítimo desse jornal. Com o consentimento da família manteremos viva a coluna Respingos, com suas crônicas, lembranças e poesias. A alma do Jornal de Cachoeirinha não morrerá jamais. 

 

Colunistas e colaboradores também marcaram época e merecem serem citados - Clarindo Oliveira, Carmen Gomes, Veridiana Alves, Marcelo Garcia, Delmar Costa, Ana Ovieda, Corte Real, os cartunistas Ronaldo Resem e Jerri Costa, os fotógrafos Larry Silva e Rodrigo Ferrão, os saudosos Padre Ermelindo Lottermann, Beno Herbert e Carioca, Saul Sastre, Rosane Roldão, Vitor Carlos Rahde, Neli Gonçalves e a coluna Sui Generis, que permanece.

Fatos marcantes, notícias boas ou ruins, críticas, elogios, denúncias, coberturas - o Jornal de Cachoeirinha conseguiu marcar e se firmar por décadas com o compromisso da isenção, ética e sempre primando para os interesses ou anseios da comunidade.

Em 2023 o Jornal de Cachoeirinha completará exatos 30 anos de sua fundação, em uma era do impresso. E para marcar esta data, nada melhor do que a volta do jornal mais querido e tradicional da cidade, na versão digital, mais ágil e de maior alcance. Os direitos da marca e a direção editorial/administrativa ficam a cargo do jornalista André Boeira (Sui Generis), que estava lá no começo com àquela equipe do "Único jornal com notícias só de Cachoeirinha", para ajudar no lançamento, ser o colunista social e depois como fiel escudeiro do eterno mestre Milton Souza. A data escolhida para o retorno foi 14 de julho de 2022, dia mundial da liberdade de pensamento e expressão.